Enquanto o livro não vem.


Amor é aquele aperto no peito             

O instante que tempo engole sem sentir

é afogar-se no mar vazio do teu olhar

É o estômago a se contorcer raivoso

Face que serena no entreabrir das pálpebras

Engasmo sem propósito

É aquela palavra que falta

É perder-se sem ter se encontrado

Te encontrado...

É o querer que se conjuga em todos os tempos

Vai além do desejo e se transforma em desespero

Asa partida que impossibilita o voo

Jasmineiros sem flor

Vento que abafa

Estrada inacabada

Amor é tempo que se perde...

 

 



Escrito por Cíntia Rosângela às 23h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil


BRASIL, Sul, PORTO ALEGRE, Mulher



Meu humor



Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 palavras mortas.
 Túmulo vazio.
 A garganta da Serpente
 Bestiário
 Charles Kiefer
 Carcasse